terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Como aproveitar a moda do slime na sua loja

Divulgação Reval
“Hoje em dia as crianças só ficam no celular e no videogame, no meu tempo a gente brincava de verdade”. Qualquer pessoa com mais de 25 anos já falou isso e entregou a idade sem saber que brinquedos antigos ainda fazem a cabeça da garotada – entre eles, o slime, que nada mais é do que a massinha de modelar com algumas novidades.
A geleca, como era conhecida, foi uma verdadeira febre entre as décadas de 1980 e 2000, quando era a queridinha da criançada na hora de colocar a imaginação para funcionar.
As mais viscosas, como a famosa amoeba, formavam bolhas de todos os tamanhos quando assopradas, enquanto as mais macias permitiam algumas esculturas – quem nunca fez uma centopeia de massinha de modelar?
slime (que, em inglês, significa “viscoso” ou “pegajoso”) é uma mistura da massinha com a geleca de diferentes cores e texturas. A grande diversão é colocar (literalmente) a mão na massa e fazer o slime artesanal com os produtos certos e um toque de personalização para deixar o brinquedo com a sua cara.
Promova o slime de forma segura e lúdica
Atentos à tendência, muitos lojistas passaram a vender os materiais para produção do slime artesanal, porém deram de cara com tutoriais online que ensinam como fazer o brinquedo com ingredientes caseiros. E aí, como brigar com a internet?
Se sua loja recebe muitas crianças e pais com filhos pequenos, organize um pequeno workshop ensinando a preparar a solução e criar a massinha. Disponha diferentes cores, além de glitter, lantejoula, estrelinhas, bolinhas e o que mais possa interessar aos pequenos.
O processo de criação é muito divertido e a tendência é tão bacana que ganhou também o coração dos adultos, já que mexer na massinha é bem relaxante. Num primeiro momento, os pais podem se opor ao slime por receio da sujeira, mas dificilmente resistirão ao colocar a mão na massa e resgatar a criança interior.
Além disso, próximo ao local onde ficam as matérias-primas da geleca, disponha um panfleto com informações sobre as vantagens do slime para o desenvolvimento infantil, como o exercício da paciência, da criatividade, do raciocínio e da sensorialidade.
Se quiser tornar a ação de vendas ainda mais especial, garanta que os pequenos possam trocar as massinhas entre si e ofereça um local aberto para que possam fazer bolhas de ar com a geleca.
Conteúdo criado por Sonobe Conteúdo, agência digital dedicada à redação, planejamento e consultoria em redação e marketing de conteúdo. Através de equipe certificada em jornalismo, marketing digital, SEO, roteiro, gestão e empreendedorismo, a Sonobe traz aos leitores e leitoras do Reval Blog novas perspectivas para os seus negócios.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Continuam abertas as Inscrições para o 11º Concurso Cultural Turma do Gabi - Desenho


As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de junho.

Neste ano, a comissão organizadora escolheu “Tema Livre” para a elaboração dos desenhos do Concurso Cultural da Turma do Gabi.

Poderão participar do concurso estudantes de todo o Brasil, com idade entre 9 e 14 anos.
Os participantes devem fazer um desenho em Papel Ofício, colado em cartolina do mesmo tamanho e enviar para:

11º Concurso Cultural da Turma do Gabi
Rua Eliza Ghirotti, 332, Monte Verde, Cep: 13348-872, Indaiatuba, SP.

A premiação para os três melhores trabalhos consiste em um tablet e as três menções honrosas receberão kits de revistas e livros da Turma do Gabi.

Realização: Estúdio Moacir Torres (EMT)
Apoio: Prefeitura Municipal de Elias Fausto e Yazigi Indaiatuba.

Confira o regulamento completo e Ficha de Inscrição no site:

SERVIÇO:
11° Concurso Cultural Turma do Gabi – Desenho
Realização: Estúdio EMT
Informações: (19) 98157-3786 – 
estudioemt@gmail.com

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Exposição Turma do Gabi 43 anos acontece em Elias Fausto

Divulgação

De 18 de fevereiro a 30 de março a Secretaria de Cultura de Elias Fausto irá realizar a exposição “Turma do Gabi – 43 Anos” que conta a trajetória dessa turminha do bem, que começou a ser criada pelo cartunista e escritor Moacir Torres no ano de 1975.

De lá para cá os personagens foram publicados em dezenas de jornais brasileiros e em centenas de revistas próprias por diversas editoras do Brasil e da Europa.

Foi e continua sendo publicados os livros impressos pelo EMT e em e-books da turma na plataforma: Amazon, Kindle.

As animações da Turma do Gabi estão no Canal “EMT Brasil” do Youtube bem como nas redes sociais.

Para comemorar essa data tão importante, o EMT - Estúdio Moacir Torres e a Secretaria de Cultura de Elias Fausto (SP) estarão realizando a exposição em homenagem aos “43 anos” com dezenas de painéis com capas de revistas e Suplementos Infantis contando a história da turminha.

Estarão fazendo parte da exposição comemorativa dezenas de desenhos, feitos pelos seguintes desenhistas brasileiros e estrangeiros:

Luke Ross (Marvel-SP), Mário Cau (Campinas), Marcos Gratão (Araçatuba), Nestablo Ramos (DF), Laudo Ferreira (SP), Xavier (Avaré), Jorge Araújo (Rio Bonito – RJ), Marcelo Marão (RJ), Júlio Magá (SP), Márcio Meyer (Sta. Cruz do Sul – RS), Paulo José (SP), Bira Dantas (Campinas), Gustavo Machado (Londrina – PR), Manoel Dama (Aracaju-SE), Verde (SP), Spacca (SP), Paulo Borges (Jundiaí – SP) Tenório (Indaiatuba-SP), Pat Menghi (Argentina), Jal (SP), Mário Mastrotti (Sto. André), Aluir Amâncio (SP) e muitos outros.

“HISTÓRIA: Em 1975 o cartunista Moacir Torres teve um sonho com esses personagens, e na manhã seguinte começou a rabiscar os primeiros deles, que mais tarde formariam a Turma do Gabi. Os principais integrantes dessa turminha do bem são formados por: Gabi, Geninha, Bacana, Vira Lata Fred, Palhaço Piruquinha, Lorenço e o Gato Malucats.”


Serviço:
Exposição: Turma do Gabi 43 Anos
Local: Casa da Memória
De 18 de fevereiro a 30 de março
Organização: Estúdio EMT
Realização: Secretaria de Cultura de
Elias Fausto

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

A importância de dizer não para as crianças

Divlgação/Leiturinha

Você já ouviu dizer que dizer “não” para a criança é um ato de amor? Apesar de nem sempre ser tão fácil negar coisas para nossos pequenos, um simples “não” traz consigo importantes ensinamentos, como paciência e continuidade.

Apesar de nenhum pai querer ver seu pequeno chorando ou se frustrando, isso é algo que inevitavelmente vai acontecer. Ao tentar satisfazer todas as vontades da criança não estamos evitando suas frustrações e sentimentos negativos, ao contrário. Dar limite para uma criança é ajudá-la a se preparar para a vida adulta. Afinal, de que adianta seu pequeno receber “sim” dos pais e, mais tarde, começar a receber diversos “nãos” sem ter aprendido como lidar com o sentimento que isso gera?

Negar algo para a criança não significa que você deve ser ríspido ou que ela deve ter medo de você. O “não” deve ser feito com base em uma decisão consciente e racional. Por exemplo, quando a criança pede para comer mais um doce e você, conscientemente, nega, sabendo que mais um doce naquele momento não será algo saudável para ela. Você não precisa negar em tom de repreensão, mas sim em tom de conversa, inclusive explicando o motivo que te fez tomar a decisão.

Teste do marshmallow
Quando explicamos o que nos levou a tomar determinada decisão, mesmo que seja contrária ao que a criança esperava, estamos mostrando que existe consciência e clareza por trás do que fazemos e falamos, e isso ajuda os pequenos a entenderem que lidar com certas frustrações momentâneas pode não ser tão ruim assim.

É o que defende o autor e professor de psicologia da Universidade de Columbia (EUA) Walter Mischel, no livro O Teste do Marshmallow. O teste foi popularizado nas redes sociais ao mostrar crianças de diferentes idades recebendo um marshmallow. Se elas esperassem 20 minutos sem comer, ganhariam mais um.

O teste é um exemplo de que lidar com a frustração da espera, por exemplo, faz com que ela receba um prêmio ainda melhor, no caso o segundo doce. E isso, segundo o autor, é um indicativo de melhor cognição e autoestima da criança, já que a decepção em certo grau é uma forma de autorregulação e autocontrole.


quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Inscrições para o 11º Concurso Cultural da Turma do Gabi

Ilustração do Cartaz: Paulo Tomson

As inscrições poderão ser feitas de 1º de fevereiro a 30 de junho.

Neste ano, a comissão organizadora escolheu “Tema Livre” para a elaboração dos desenhos do Concurso Cultural da Turma do Gabi.

Poderão participar do concurso estudantes de todo o Brasil, com idade entre 9 e 14 anos.

Os participantes devem fazer um desenho em Papel Ofício, colado em cartolina do mesmo tamanho e enviar para:

11º Concurso Cultural da Turma do Gabi
Rua Eliza Ghirotti, 332, Monte Verde, Cep: 13348-872, Indaiatuba, SP.

A premiação para os três melhores trabalhos consiste em um tablet e as três menções honrosas receberão kits de revistas e livros da Turma do Gabi.

Realização: Estúdio Moacir Torres (EMT)

Confira o regulamento completo e Ficha de Inscrição no site: www.turmadogabi.com.br.

SERVIÇO:
11° Concurso Cultural Turma do Gabi – Desenho
Realização: Estúdio EMT
Informações: (19) 98157-3786 – estudioemt@gmail.com

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Conselhos de avós que deveríamos passar aos nossos pequenos

Divulgação/Leiturinha

Conselhos de avó têm um valor enorme! 

Não é à toa que diversas culturas consideram pessoas mais velhas e sábias como referência para os mais jovens. 

Segundo o neuropsicólogo Elkhonon Goldberg, a sabedoria atinge seu auge na velhice. 

E aí nos lembramos daqueles conselhos e frases que nossos avós costumavam nos falar e que não demos tanta importância. 

Relembramos alguns conselhos passados pelas gerações dos nossos avós e mostramos como eles podem ser realmente válidos em nosso dia a dia com as crianças. 

Confira 4 conselhos de avós que servem para os pequenos:

1. O mundo não vai acabar hoje
Uma clara mensagem que muitas vezes custamos a entender. Mas a verdade é que muitas vezes damos importância e urgência para situações ou coisas que não valem tanta dedicação. Seguir esse conselho na correria do dia a dia pode parecer inviável, mas tente o exercício: o que vai acontecer se eu deixar de fazer isso hoje e fizer amanhã ou depois? Se a resposta for algo como “nada” ou “pouco”, talvez não seja um problema relaxar e fazer depois. Ensine isso para seu pequeno desde cedo, mostre que é importante saber esperar e que ter paciência é uma virtude que irá acompanhá-lo pela vida.

2. Tudo na vida passa
São tantas as situações para as quais essa frase cairia como uma luva… Como quando a criança cai e fica com um ralado no braço e sente que aquela dor não passará; ou quando ela fica frustrada por não ter ganhado o presente que queria no Natal

3. Sai da frente da TV e vai ver o céu
Seja da TV, tablet ou celular, ficar tanto tempo em frente às telas é um hábito que deveríamos repensar em nossas famílias. Igualmente, devemos prestar atenção à mesma coisa com as crianças. Vocês podem começar limitando o tempo de uso de celulares e tablets para pais e filhos. Que tal criar uma rotina de passeios, mesmo que pelo bairro, ou de brincadeiras fora de casa?

4. Comer cenoura faz bem para os olhos
Assim como outros legumes e frutas de cor alaranjada, a cenoura tem betacaroteno que se converte em vitamina A e contribui para a retina e outras partes dos olhos. Ou seja, há bastante fundamento científico nessa típica frase de avós. Portanto, mais uma boa lição a ser passada para as próximas gerações.


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Nova graphic novel da Turma do Gabi prevista para 2019


O Estúdio Moacir Torres – EMT – está desenvolvendo a primeira graphic novel da Turma do Gabi, intitulada “A Revolta das Árvores”. A novidade será lançada em 2019, quando a turminha completará 44 anos de criação.

O artista convidado para elaborar essa publicação, é o ilustrador e quadrinhista Paulo Tomson. Nascido no Rio de Janeiro, o artista é autodidata das artes gráficas, quadrinhos e, atualmente, reside em Petrópolis. Paulo desenvolveu o texto e, agora, está ilustrando a aventura da turminha, a qual terá cerca de 30 páginas coloridas.

O Estúdio EMT está a procura de uma editora para publicar e distribuir a graphic novel no Brasil. Se algum editor tiver interesse no projeto, basta entrar em contato pelo e-mail estudioemt@gmail.com.

SERVIÇO:
Turma do Gabi – A Revolta das Árvores
Produção: Estúdio EMT
Autores: Moacir Torres e Paulo Tomson.

sábado, 24 de novembro de 2018

A importância de ensinar gratidão às crianças

Divulgação - Leiturinha

Ensinar gratidão é fundamental. Agradecer um presente, dizer bom dia ao chegar em um lugar, dar tchau antes de ir embora… essas são ações do dia a dia que estimulamos nas crianças para que elas se tornem pessoas educadas e que respeitem outras pessoas. A gratidão começa quando entendemos o valor dessas pequenas trocas de gentileza.


Isso por si só já é suficiente, mas não acaba por aí: quando criamos uma criança preocupada com os outros, não estamos só ajudando-a a viver em sociedade, como também estimulando seu desenvolvimento. Por exemplo, entender o esforço de outra pessoa é um exercício de consciência.

- Descubra 4 coisas que ensinar gratidão traz para os pequenos:
1. Viver bem com outras pessoas

Quando estimulamos as crianças a usar as chamadas “palavras mágicas” estamos fazendo com que elas percebam que o egoísmo – natural até por volta dos 6 anos – é uma fase que deve passar. Isso ajuda a criança a criar mais maturidade para se tornar um adulto que se importa com os demais.

 - 2. Habilidades emocionais

Quando a criança passa por experiências de gratidão e respeito ela tem mais chances de desenvolver habilidades como aceitação do outro, trabalho em equipe e convívio com as diferenças, ou seja, habilidades sócio-emocionais essenciais para seu desenvolvimento.

- 3. Dar valor às coisas

Ao ensinar que nossos filhos agradeçam quando recebem um presente ou algo estamos dando condições para que eles entendam que independentemente do que recebam, devem ser gratos e saber que tudo tem seu valor e importância.

 - 4. Cultivar bons relacionamentos

Agradecer quando alguém emprestou algo ou ter empatia e tratar os outros com bom humor e gentileza gera cumplicidade e conexões que, mais pra frente, ajudam a construir bons relacionamentos e ambientes saudáveis.



terça-feira, 13 de novembro de 2018

Turma do Gabi no Zoológico é o novo livro da Editora EMT

Divulgação

Já está à venda no site da Amazon o livro infantil “Turma do Gabi no Zoológico”, que traz uma aventura da turminha pelo zoo da cidade.

Esse livro tem textos de Cláudio Feldman e ilustrações de Moacir Torres, criador da turminha. Este ano, os personagens completaram 43 anos.

O livro conta uma aventura do Gabi, que juntamente com Esmeralda e seu cãozinho Fred resolvem fazer uma visita ao zoo da cidade e conhecem os mais diferentes animais.

Para adquirir a publicação no Amazon, basta acessar www.amazon.com.br/dp/B07KDCRD9M

SERVIÇO:
Turma do Gabi no Zoológico
Autores: Cláudio Feldman e Moacir Torres
Editora EMT

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Estúdio EMT lança novo e-book do Papo Amarelo pela Amazon.


O Estúdio EMT está lançando uma edição especial, com 60 páginas, da revista em quadrinhos (formato e-book) do herói amazônico “Papo Amarelo”, pela Kindle/Amazon.

O herói Papo Amarelo foi criado pelo cartunista e escritor Moacir Torres, em 1990, e se tornou um ícone dos quadrinhos brasileiros por ser um personagem autêntico e diferente. Suas aventuras passam na selva amazônica e no Pantanal do Mato Grosso.

História: “Em janeiro de 1995, o desmatamento e a matança desenfreada de jacarés e outros animais assustam as autoridades governamentais; então, eles aumentam o contingente policial nessas localidades. Nessa nova safra de policiais, encontra-se o Capitão Chico. Competente, formado em lutas marciais, que posteriormente se transforma no lendário herói Papo Amarelo e passa a proteger a natureza, os animais, os ribeirinhos e os índios. “

Esta edição traz aventuras em quadrinhos que já foram publicadas em papel recentemente com a arte de diferentes artistas brasileiros, como: Sebastião Seabra, Marcos Gratão e Júlio Magah.

Para adquirir o e-book, basta acessar: https://www.amazon.com.br/dp/B07JWCB4BK
SERVIÇO:

E-book Papo Amarelo – Edição Especial
Autor: Moacir Torres
Editora EMT/Kindle

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Editora Univali lança primeiro livro da Série Bebê Bilíngue


Coleção é voltada a crianças de 0 a 5 anos, com conteúdo em português e inglês

A Editora Univali lança o primeiro livro da Série Bebê Bilíngue, intitulado “Druska”, de autoria de Adair de Aguiar Neitzel, docente da Universidade do Vale do Itajaí (Univali). 

A obra propõe um jogo com as palavras, que seduz pela sua musicalidade e instiga a criança a gostar de ler pela fruição.

A coleção destina-se a crianças de 0 a 5 anos, com conteúdo em português e inglês. Druska também é o nome da principal personagem deste primeiro livro. Trata-se de uma cadela que possui várias faces – corajosa, dócil, brava, aterrorizante, brincalhona, dominadora amiga, entre outras. 

Ela oferece às crianças muitas emoções e a oportunidade de aprenderem a lidar com seus medos a partir das diversas situações que enfrenta.

O livro custa R$19,90, tem ilustração de Mariana de Aguiar Neitzel e tradução de Louise Potter. A publicação pode ser adquirida na Editora Univali, localizada na sala 108 do bloco B6, no Campus Itajaí.

Mais informações: Natália Uriarte Vieira – (47) 3341-7648 – www.univali.br – geral-bounces@listas.univali.br


quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Não subestime as crianças: livros infantis como lugar seguro para abordar temas difíceis

Divulgação

Já falamos aqui no Blog Leiturinha sobre como a literatura é atemporal e não tem uma finalidade específica pois, ao não se prestar a isso, é fiel a si mesma e ao que seu autor ou autora desejou transmitir ao criar a obra. Porém, ao ser escrito, o livro passa a pertencer a quem o lê, fazendo sentido de acordo com o repertório e as experiências de cada um.

Os livros, assim, passam a ser um lugar seguro para conhecer o mundo, transitar por diferentes pontos de vista, experimentar sentimentos e emoções e, por isso, se conhecer melhor! Além disso, a linguagem lúdica contribui para que a mensagem chegue mesmo para as pessoas mais fechadas, pois se comunica por outra via, que não a da razão.

Os livros infantis não fogem a essa regra. Eles são capazes de despertar sentimentos, remeter a situações fictícias e reais e, por isso, são grandes aliados no momento de tratar temas delicados com os pequenos. Em uma enquete no Instagram da Leiturinha, perguntamos aos pais se os livros infantis os ajudavam a abordar temas complexos com seus pequenos. De um total de 397 pessoas que responderam, 93% afirmaram usar a literatura para tratar temas delicados com os filhos. Afinal, por meio dos livros, os pequenos podem experimentar diferentes pontos de vista sobre a mesma questão e, se estão passando por momentos semelhantes, podem perceber que existem outras maneiras de encarar os fatos e outras formas de pensar e agir.

Não podemos subestimar as crianças!
Quando se trata de livros infantis, os mais diversos temas delicados são abordados de forma lúdica, se tornando verdadeiros porta-vozes da realidade para os pequenos. Por isso, livros que não subestimam os pequenos são fundamentais para apresentar fatos, sentimentos e questões importantes, como a vida e a morte, os medos e as angústias, e situações delicadas como bullying e outros tipos de violência, por exemplo.

Além disso, cabe também a nós, adultos,  não subestimar a capacidade dos pequenos de conhecer e encarar a realidade como ela é. Falar sobre algo que a criança já observa, ainda que de forma distanciada, dá a ela a oportunidade de aprender a lidar com o assunto, seja ele qual for. As crianças vivem em um mundo onde há guerras, conflitos, entre tantas outras coisas com as quais nem sempre queremos lidar. Mas, uma vez tratados pela literatura, tais temas são apresentados em um lugar seguro, em que os pequenos poderão levar o tempo necessário para conseguir lidar com o assunto, trilhando, assim, seu caminho para o amadurecimento.

Portanto, que tal apresentar os mais diversos tipos de histórias ao seu pequeno e, quando se deparar com um assunto delicado, observar sua reação e acolher suas dúvidas sobre o livro? Assim, seu pequeno se sentirá valorizado e ouvido, e terá a oportunidade de aprender sobre o mundo ao lado de quem confia e com a voz sensível da literatura!

10 dicas de livros infantis que podem ajudar na educação dos filhos
Questões como medo, dificuldade na alimentação, higiene, saudade, perdas, bullying, desfralde, preconceito e separação dos pais podem ser mais facilmente tratados com a ajuda da literatura, que possibilita a abertura de um diálogo mais acessível com as crianças. Para ajudar mamães, papais e educadores, a Equipe de Curadoria da Leiturinha elencou 10 obras que abordam esses temas e que mostram como a literatura, além de ser fundamental para o desenvolvimento infantil, também pode ser um ótimo instrumento na educação dos pequenos! Continuar lendo. Fonte: https://leiturinha.com.br/

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Cia “A Hora da História” apresenta a coleção Cidade das Letrinhas



Histórias fazem analogia aos conflitos durante a infância e despertam o interesse das crianças
Motivados pelo sentimento de ajudar ao próximo, pais, educadores e psicopedagogos abraçaram a causa da autora e ilustradora da coleção Cidade das Letrinhas, Viviane Zanardo. Juntos formam uma rede de relacionamento para identificar escolas que precisam receber doação de livros para as crianças, durante o processo de alfabetização e socialização.

Livros infantis como Cidade das Letrinhas auxiliam no processo de socialização, contribuindo para que os pequenos se identifiquem com a situação, encontrando meios de lidar com ela, como por exemplo o conflito entre as letras que disputam ser a mais importante para escrever palavras. Conclui a psicóloga e psicopedagoga Andrea De Domenico.

Roberta Sgambatti Simões, mãe de Lorenzo e Luna, avalia que a autora conseguiu absorver a realidade do universo infantil e o traduziu de uma maneira feliz, despertando a atenção dos pequenos leitores. Roberta é Engenheira Civil, pós-graduada em marketing e Cofundadora da Sonheria Colaborativa (@sonheriacolaborativa). Para realizar este sonho, a Roberta compartilha as histórias das letrinhas entre os educadores de escolas da região, tais como: Escola Catavento, Colégio Sagrado Coração de Jesus, Escola Amor Perfeito, Colégio Santa Marcelina, Colégio Batista, Colégio Rainha da Paz, Colégio Notre Dame, Colégio São Luís, entre outros.

“Todo estimulo sempre é válido, principalmente para estas crianças que estão na fase de alfabetização. E as histórias da Cidade das Letrinhas realmente desperta a atenção das crianças”, diz Marina C. Freire Maltez, professora, mãe de Manuela e Marcela, proprietária do Colégio Alfredo Castro e Escola Gato Xadrex.

Em Cidade das Letrinhas 1, as crianças aprendem as palavras, a partir da construção de uma pequena cidade. As vogais vivem num lugar quase deserto e um dia descobrem o sentimento de tristeza por não saberem como povoar a cidade. Então, a letra A adormece e sonha com a solução do problema: escrever e fazer aparecer novos amigos, bichos, frutas, árvores e casas, através das palavras escritas com as iniciais das vogais.

Em Cidade das Letrinhas 2, a letra B convida as vogais para uma viagem à praia, onde lá conhecem novos amigos, entre eles, as consoantes. Assim recomeça a brincadeira de escrever e fazer aparecer lugares diferentes, recheado de novas situações, descobertas e conflitos. A disputa entre as letras faz uma análoga reflexão sobre a importância de respeitar as diferenças entre os colegas.

SOBRE A AUTORA E OS LIVROS
Viviane Zanardo nasceu em Santo André, em 1976. Estudou Comunicação Social, com ênfase em jornalismo e edição eletrônica. Aprendeu técnicas de ilustração e começou a desenhar, depois de descobrir a história das Letrinhas entre as anotações da avó Neyde. A ideia era boa, mas precisava aumentar e adaptá-la para entreter as crianças… então, pesquisou sobre o universo de sua filha Isabella, hoje com 7 anos, e transformou as letras em personagens semelhantes às crianças em suas características. Estudou palavreados, costumes, situações e conflitos vivenciados nas escolas e trouxe estes cenários para dentro das histórias, onde os pequenos leitores se identificam com os personagens em suas descobertas e desafios.
Assim surgiu a coleção Cidade das Letrinhas, um enredo desenvolvido especialmente para apoiar os pequenos leitores, durante o processo de alfabetização e socialização infantil.

Fonte: VIPress Comunicação Integrada – Viviane Zanardo.


sexta-feira, 6 de julho de 2018

HQs da Turma do Gabi no site de financiamento coletivo Kickante


O cartunista e escritor Moacir Torres colocou na plataforma de financiamento coletivo Kickante, uma revista em quadrinhos inédita da Turma do Gabi.

Os que colaborarem na campanha receberão em outubro a revista impressa autografada e a versão digital, bem como os livros infantis da Turminha e o Gibi do Papo Amarelo 02, via correio sem nenhuma despesa.

Roteiros/Layout: Júlio Magah.
Desenho/Arte/Cor: Moacir Torres.
Capa: Nestablo Ramos.

Criada pelo cartunista e escritor Moacir Torres em 1975, a Turma do Gabi circulou nos principais jornais e revistas infantis do País por várias gerações, consolidando sua marca e sendo apontada, até hoje, como a quarta mais conhecida turma dos quadrinhos brasileiros.

Para contribuir com o projeto, basta acessar a página:
https://www.kickante.com.br/campanhas/turma-do-gabi-em-quadrinhos

SERVIÇO:
Turma do Gabi – 2018
Autor: Moacir Torres